Dramaturgia de Belo Horizonte, de Assis Benevenuto e Vinícius Souza

R$ 30,00
. Comprar  
A primeira geração de autores teatrais de Belo Horizonte despontou nos anos sessenta, época que o teatro da jovem capital começava a fortificar sua própria identidade. Nomes como Jota Dângelo e José Antônio de Souza fazem parte dessa geração pioneira. A partir daí o teatro mineiro viu nascer e se destacar outros dramaturgos e dramaturgas: Ione de Medeiros, que nos anos oitenta e noventa revolucionou o trabalho teatral da cidade ao propor uma mistura de linguagens e mídias artísticas, até Grace Passô, início do século XXI, jovem autora vencedora de diversos prêmios nacionais, dentre eles Shell e APCA. Todos esses nomes, somados ao de Walmir José, importante dramaturgo e professor da cidade, estão reunidos agora em livro: é a primeira publicação de uma antologia da dramaturgia de Belo Horizonte. A publicação tem caráter histórico, de resgate, registro e divulgação da escrita teatral mineira.

A publicação O livro, Dramaturgia de Belo Horizonte: Primeira Antologia, é composto por cinco textos essenciais da dramaturgia da cidade, escritos por autores e autoras de diferentes gerações e estéticas. Não se trata de uma antologia definitiva, mas de um registro histórico de escritas teatrais que traduziram o espírito de determinados períodos do teatro mineiro, apresentaram novos paradigmas dramatúrgicos, obtiveram relevância de público e crítica em Minas, alguns no país. Estão publicados: Oh!Oh!Oh! Minas Gerais, de Jonas Bloch e Jota Dângelo, de 1967; O fedor, de José Antônio de Souza, de 1970; Um sobrado em Santa Tereza, de Walmir José, de 1989; Babachdalghara, de Ione de Medeiros, de 1995; e Por Elise, de Grace Passô, de 2005.

Além dos textos teatrais, a publicação conta com um artigo que apresenta um breve panorama histórico da dramaturgia belo-horizontina, elaborado pelos organizadores do livro – Assis Benevenuto e Vinícius Souza –, resultante de uma pesquisa de dois anos, de coleta e organização de informações e materiais. O projeto dessa pesquisa, que teve a Professora Doutora Sara Rojo como consultora, foi realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. O livro se destaca, ainda, pelo projeto gráfico realizado pelo Estúdio Lampejo que buscou, através de uma visualidade ousada e contemporânea, chamar a atenção do público de hoje para a memória dramatúrgica da cidade.

A antologia estará ainda acessível a deficientes visuais, através do formato de audiolivro, onde estão gravadas em áudio leituras de cada texto, feitas por atores e atrizes da cidade. O audiolivro estará disponível no seguinte link na internet: www.mixcloud.com/editorajavali
• Prazo para postagem:
Veja também