A violência no Rio Antigo, de André Luis Mansur

R$ 35,00
. Comprar  
A finalidade deste trabalho é relembrar alguns períodos do passado do Rio de Janeiro. Períodos em que a cidade vivia um clima de insegurança, com os moradores vulneráveis ao ataque de quadrilhas de capoeiras e de salteadores, correndo perigo ao sair à noite e às vezes em plena luz do dia. As ocorrências aqui mostradas são de uma época em que algumas autoridades envolvidas em escândalos, maracutaias e crimes quase sempre ficavam sem punição. Nos séculos XVI, XVII, XVIII e XIX, os cariocas viviam com medo da violência. A população temia as invasões estrangeiras e os quilombolas que atacavam pelos caminhos e invadiam e saqueavam propriedades em volta da cidade. Em alguns locais da cidade, a concentração de bandidos era tão grande que nem a polícia se atrevia a entrar, como era o caso da Vila Verde, na altura da atual Avenida Marechal Floriano. O crime ambiental era favorecido pelo governo com leis desastradas, como a Carta Régia de 1678, que autorizava o corte de árvores do mangues.
• Prazo para postagem:
Veja também