Cinema japonês na Liberdade, de Alexandre Kishimoto

R$ 51,00
. Comprar  
Com linguagem precisa e agradável até para quem não é cinéfilo, Cinema japonês na Liberdade provoca ampla percepção do passado do cinema japonês no Brasil desde que chegou até nós através de projeções ambulantes no meio rural, por volta de 1926, e aponta, ainda, a repressão do regime de Getúlio Vargas à colônia nipônica na década de 1940, a constante catarse provocada pelos filmes japoneses nos espectadores, a diversidade em gêneros e estilos dessa produção cinematográfica e sua influência na obra de cineastas brasileiros. Nos anos 1950, enquanto o resto do planeta descobria e reverenciava Akira Kurosawa e um ou outro cineasta do Japão, o cinema daquele país era amplamente conhecido e vivenciado pelo paulistano. São Paulo chegou a ter naquela década e na seguinte quatro salas de exibição destinadas exclusivamente aos filmes das principais produtoras japonesas. Esse período expressivo de ofertas que não atraíam apenas a colônia nipônica da Liberdade ressurge, aqui, com riqueza de informações. O pesquisador Alexandre Kishimoto faz um equilibrado uso de pesquisas e depoimentos que ajudam o leitor a conhecer (ou recordar) essa fase de grande receptividade popular. O livro conta também com prefácio do historiador Jeffrey Lesser e vários documentos e imagens ilustrativas.
• Prazo para postagem:
Veja também