21 de julho de 2009


Para sempre teu, Caio F.

Era desta maneira que Caio Fernando Abreu costumava encerrar as cartas que mandava para amigos. Várias delas estão reunidas em Para Sempre Teu, Caio F., lançado pela Record. Escrito por Paula Dip, amiga de Caio por 20 anos, o livro reúne cartas, bilhetes, conversas e memórias da autora, a quem Caio Fernando Abreu dedicou o clássico Morangos Mofados. Para Sempre Teu, Caio F. traz também depoimentos de pessoas importantes na vida de Caio, como Cazuza, Ney Matogrosso, entre outros. O resultado é um emocionante relato de quem acompanhou de perto o mundo do “Escritor da Paixão” (como o definiu Lygia Fagundes Telles) até sua morte precoce, aos 47 anos, vítima de Aids.

Frases marcantes de Caio F. Abreu

"A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão."

"Não, meu bem, não adianta bancar o distante: lá vem o amor nos dilacerar de novo..."

"Tudo já passou e minha vida não passa de um ontem não resolvido"

"Tenho uma vontade besta de voltar, às vezes. Mas é uma vontade semelhante à de não ter crescido"

"E tem o seguinte, meus senhores: não vamos enlouquecer, nem nos matar, nem desistir. Pelo contrario: vamos ficar ótimos e incomodar bastante ainda"



As frases de Caio Fernando Abreu inspiraram posts em vários blogs. Alguns deles estão listados abaixo:


De Caio F. Abreu leia também:

Caio Fernando Abreu - Inventario De Um Escritor Irremediável, de Jeanne Callegari - Editora Seoman (R$ 28,00). Durante três anos, a autora realizou mais de 60 entrevistas, pesquisou reportagens e entrevistas de CFA, leu cartas do escritor e descobriu informações raras, que reconstituem o cenário em que seus contos, romances e peças de teatro surgiram.

Teatro Completo: Caio Fernando Abreu - Editora Agir (R$ 49,90) O livro apresenta oito peças de teatro de Caio Fernando Abreu, em ordem cronológica de suas estréias, acompanhadas de fichas técnicas e fotos das montagens.

Memórias poéticas de Armando Freitas Filho em 'Lar,'

Lar, não é um livro de memórias, mas pode ser um livro sobre a memória. A continuidade, por isso mesmo, não é linear. O autor sentiu esses sobressaltos e não procurou corrigi-los, pois como bem anota Vagner Camilo na sua apresentação, "a autobiografia poética não se restringe [...] nem parece obedecer a uma cronologia estrita. E aqui temos que considerar o próprio desajuste do gênero lírico para lidar com a pretensa tarefa autobiográfica de recompor a gênese do indivíduo, mais adequada ao fio contínuo da prosa". O Lar, do título com a vírgula sem o seu aposto - uma vírgula em suspenso, ou em suspense -, dá, logo de entrada, visualmente, uma dica do que se vai encontrar de semelhante nos poemas, no fluxo interno e externo deles.

Sobre o livro, Fábio de Souza Andrade escreveu na Folha de S. Paulo: “Escrevo de costas para a família/ defronte do espelho/ que a reflete, e a mim, sua extensão/ e consequência”: os versos do poema “Pelo Retrovisor” bem poderiam servir de epígrafe a Lar, (2004-2009), coletânea do poeta carioca Armando Freitas Filho recém-lançada pela Companhia das Letras, sucedendo a Raro Mar (2002-2006). Eles resumem e encenam, na imagem sintética da escrita solitária, os elementos essenciais que definem o estado atual e a história de seu “escritório poético”, correção de rumo - pessoal, lúcida e retorcida - da geometria cabralina e da oficina irritada drummondiana, moldadas pela experiência contemporânea e pela preocupação persistente com o tempo."

PROMOÇÃO: Blooks Livraria tem cinco exemplares autografados de Lar, novo livro de Armando Freitas Filho

Os cinco primeiros clientes que reservarem por email o livro Lar, de Armando Freitas Filho, compram o exemplar autografado. A promoção é válida para reservas feitas por email para blooks@blooks.com.br, e são válidas para os cinco primeiros clientes que enviarem mensagem incluindo no assunto 'Reserva LAR,'.

Leia outros livros de Armando Freitas Filho:

Maquina de escrever - Poesia reunida e revista (Editora Nova Fronteira. R$ 64,00) Ao completar 40 anos da publicação de sua primeira obra, 'Palavra', de 1963, Armando Freitas Filho lança 'Máquina de escrever - Poesia reunida e revista'. O livro agrupa outros 12 já publicados e um inédito - 'Numeral/Nominal', que abre o volume. São 608 páginas de poesia, revistas pelo autor, que, pessoalmente, digitalizou grande parte da obra. O livro tem prefácio de Viviana Bosi e orelha-retrospecto da trajetória poética de Armando Freitas Filho assinada por Sebastião Uchoa Leite. Raro Mar (Companhia das Letras. R$ 29,50) Os poemas que abrem 'Raro mar' versam sobre a fatura literária - 'Outra receita' fala do 'resultado final da oficina' como um conserto de palavras, em que a carpintaria poética não tem hora para terminar. A transformação social e urbana do Rio de Janeiro também está presente no livro. O processo histórico fez com que o mar carioca se tornasse 'raro'. A série 'Numeral' enfeixa poemas escritos ao longo de mais de dois anos, que se encadeiam como um diário poético.

Dica da Blooks: Fabrício Carpinejar faz poesia com atitude

Escrito em 2001 e relançado agora pela Bertrand, Terceira sede, do gaúcho Fabrício Carpinejar, se passa em 2045, quando o escritor terá (ou tem) 72 anos. “Como posso ter morrido antes, decidi antecipar a velhice”, escreveu Carpinejar, que já foi chamado de "Don Juan das palavras". Você pode saber mais sobre o escritor no blog dele e assistindo à entrevista dele no Jô Soares Onze e Meia, quando lançou o livro Canalha. Sobre Terceira sede, leia mais no site da editora Bertrand.



Encontre ou encomende os livros desta newsletter na Blooks Livraria


Visite a Blooks Livraria, no cinema Unibanco Arteplex
Praia de Botafogo, 316, Rio de Janeiro – Tel. (21) 2559-8776
www.blooks.com.br | blooks@blooks.com.br